terça-feira, 21 de agosto de 2018

Projeto de Lei de Umbelino Junior que cria o Programa de Prevenção ao AVC é sancionado pela Prefeitura de São Luís



O projeto de lei Nº 179/17 de autoria do vereador Umbelino Junior (PPS) que dispõe sobre a criação do Programa Municipal de Prevenção ao Acidente Vascular Cerebral (AVC) em São Luís foi aprovado no ano passado após análise na Câmara Municipal de São Luís. A proposta foi encaminhada ao Executivo Municipal e sancionada como lei N° 6.344 de 11 de Julho de 2018.
A proposta do parlamentar tem como objetivo conscientizar, evitar e prevenir mortes e sequelas causadas pelo AVC. De acordo com o vereador, a medida é importante para reduzir o número de casos de acidentes vasculares que afetam cerca de 17 milhões de pessoas anualmente em todo o mundo, além de orientar e educar a população no sentido da prevenção.
PREVENÇÃO AO AVC:
O acidente vascular isquêmico é o tipo de AVC mais comum causado pela interrupção no fluxo de sangue em uma região específica do cérebro e o acidente vascular hemorrágico é o tipo mais grave e acontece quando o vaso se rompe, gerando um sangramento no cérebro. Quando ambos atingem uma pessoa, matam ou deixam lesões irreversíveis como incapacidade de se mover ou sentir parte do corpo, além de dificuldades de compreensão ou de falar. No entanto, as sequelas podem ser evitadas, caso a pessoa que sofreu AVC seja socorrida dentro de quatro horas por algum profissional da área.
LEI:
De acordo com a publicação, as ações promovidas pelo Programa Municipal de Prevenção ao Acidente Vascular Cerebral (AVC) deverão ser realizadas por equipes multidisciplinares. Vale lembrar que a lei já está em vigor e as despesas dos trabalhos desenvolvidos pelo programa serão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.
O vereador Umbelino Junior destacou a importância da lei. “Essa proposta vem com o intuito de salvar vidas, é necessário antes de tudo a prevenção, principalmente quando falamos do AVC. Acreditamos que a lei irá auxiliar em muitos casos”, afirmou o parlamentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais visitadas